Missão e Visão

Home » Missão e Visão

Em 2006, ganha fôlego um projeto ambicioso que pretende devolver à cidade da Guarda o protagonismo educativo, sobretudo na vertente técnica, de outrora, complementando a oferta formativa de uma capital de distrito que, à data, não assumia uma resposta formativa de cariz profissionalizante ao seu público discente. Assim, ganha vida uma nova aposta educativa: a Ensiguarda – Escola Profissional da Guarda.

A Ensiguarda apresenta-se, hoje, sob o lema “Temos Projeto, Somos Futuro!”, num claro reconhecimento da importância de um sólido projeto de formação científica, social e humana, de olhos postos no futuro.

MISSÃO

Centrados no aluno, fomentamos as suas capacidades para que, na captação do real, perspetive o seu futuro, definindo as suas prioridades, ajudando-nos a enformar a nossa missão – estimular a pessoa, distinguindo-a pelo saber e pelo ser, criando-lhe hábitos de valorização do trabalho, da persistência e da criatividade, conscientes da importância do processo de aprendizagem ao longo da vida e reconhecendo o seu papel na construção de um futuro melhor.

VISÃO

A visão educativa de uma instituição desta natureza pauta-se por uma formação qualificante de jovens, proporcionando-lhes o know-how efetivo que lhes permita integrar, de forma exímia, o mundo do trabalho, garantindo o desenvolvimento da sociedade em que vivemos e, em particular, da região onde estamos inseridos.

AÇÃO

Numa ação centrada na formação integral do aluno, acreditamos num estreitamento de laços entre o fazer e o ser, certos de que só assim formaremos cidadãos justos e capazes de colocar o seu trabalho em prol do bem comum.

Ensinando a fazer, garantimos a aquisição de uma cultura científica e técnica que desenvolva a inovação e a aptidão, preparando os jovens para uma progressiva inserção na sociedade, desenvolvendo-lhe, ao mesmo tempo, as competências que lhes permitam uma aposta na continuação dos seus estudos.

Ensinando a ser, promovemos o desenvolvimento integral e harmonioso do aluno, numa vertente física, intelectual e moral. Alargando a nossa visão do mundo, incitamo-los a serem agentes da sua própria formação, corporizando os valores da autonomia e espírito crítico que lhes permitam crescer numa liberdade responsável.

VALORES

  • Igualdade de oportunidades e de género;
  • Inclusão como forma de aceitar e respeitar os diferentes intervenientes do processo educativo;
  • Integridade em todas as ações e atividades desenvolvidas, para formarmos profissionais bem qualificados;
  • Solidariedade para que possamos ajudar o próximo;
  • Respeito mútuo para melhor vivermos em sociedade;
  • Responsabilidade para saber o que fazer, quando fazer e assumi-lo;
  • Profissionalismo para que os nossos alunos alcancem a excelência em tudo que fazem;
  • Sustentabilidade para que a instituição continue a promover políticas comprometidas com a geração futura.

Inclusão

No cumprimento da sua missão, a Escola Profissional da Guarda possibilita importantes práticas educativas, mormente através da prática letiva, mas, igualmente, através da realização de atividades não letivas, como o desenvolvimento de projetos que permitem aos alunos a aquisição dos valores da dignidade humana, do direito à diferença, da solidariedade, da liberdade e do exercício da tolerância. Estas experiências são fundamentadas nos princípios da educação inclusiva e da interculturalidade, objetivam o desenvolvimento da autonomia, do pensamento crítico, da responsabilidade no trabalho, do respeito pelos diferentes intervenientes do processo educativo, ideais que revestem este Projeto.

Cidadania

Visando a construção sólida da formação humanística dos alunos, para que assumam a sua cidadania, garantindo o respeito pelos valores democráticos básicos e pelos direitos humanos, tanto a nível individual como social, a educação constitui-se como uma ferramenta vital. Deste modo, os professores têm como missão preparar os alunos para a vida, para serem cidadãos democráticos, participativos e humanistas, numa época de diversidade social e cultural crescente, no sentido de promover a tolerância e a não discriminação, bem como de suprimir os radicalismos violentos. Verifica-se, portanto, que o Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, corresponde a uma prática já consagrada no Projeto Educativo, no que concerne à Estratégia de Educação para a Cidadania, e que agora é formalizada como componente de currículo, nomeadamente na abordagem feita na disciplina de Área de Integração.