Informação Institucional

Home » Informação Institucional

Ensino e Compromisso de Futuro

A escola representa hoje, como sabemos, um dos pilares da sociedade, cumprindo o nobre desiderato da formação de uma geração que contribua como elemento estruturante para o desenvolvimento social e económico de um território.

Consciente desta realidade, a Ensiguarda – Escola Profissional apresenta-se hoje sob o lema “Temos Projeto, Somos Futuro” num claro reconhecimento da importância de um sólido projeto de formação científica, social e humana de olhos postos no futuro.

Ao longo das últimas décadas, assistimos a uma crescente valorização e consolidação de um ensino profissionalmente qualificante no contexto da ação educativa. Atenta a esta realidade, a Fundação João Bento Raimundo, pautada por uma visão estratégica e na observância dos princípios de cariz social que presidem à sua ação, vem, no início de 2006, procurar dar resposta a uma lacuna que se fazia sentir na cidade da Guarda, com claras repercussões na formação dos jovens do interior do país, inaugurando uma escola que enformasse um conjunto de princípios e valores para a sociedade, sobretudo no que diz respeito às relações entre educação e mercado de trabalho.

Situada a escassos metros da nobre zona histórica da cidade, de forma a facilitar a mobilidade dos discentes, a escola é também um agente estimulador da cultura e do património que carateriza a região.

A orientação vocacional e a estruturação dos conteúdos consubstanciam as aspirações dos alunos, sem perder de vista as reais necessidades do mercado de trabalho. O interesse científico e técnico dos projetos e a sua aplicação no mercado de trabalho vêm reconhecer uma formação prática de excelência, motivadora de rasgados elogios pelo tecido empresarial local que acolhe, com muita satisfação, mão de obra qualificada para a realização dos estágios profissionais. No final dos mesmos, uma larga maioria dos alunos que pretende iniciar a sua carreira profissional, empregando os seus mais recentes conhecimentos e contribuindo para novas formas de atuação técnicas e científicas, veem as suas aspirações concretizadas em empresas locais e nacionais que privilegiam este novo Know-how, assinalando a empregabilidade de alguns cursos a 100%.

Convictos de que a aposta na qualificação, baseada em padrões de exigência científica e técnica, se apresenta como um marco diferenciador na carreira de um indivíduo, a Ensiguarda reforça todos os anos a sua aproximação ao ensino superior, proporcionando aos seus alunos um conjunto de sessões teóricas e práticas na Universidade da Beira Interior, numa clara interação entre os diferentes níveis de conhecimento.

Por esta razão, são cada vez mais os alunos que apostam na prossecução dos seus estudos, acompanhados ao longo da sua formação por uma vasta e competente equipa docente que se esforça no sentido de os orientar na exigente etapa de preparação para os exames nacionais. A par das inúmeras distinções que têm agraciado o trabalho da escola, sobretudo pelo valor da qualificação de jovens no interior do país, reiteramos os dados relativos à inserção no mercado de trabalho e a elevada percentagem de alunos que ingressam no ensino superior e que vêm reforçar a necessidade de um trabalho futuro com base nas linhas orientadoras de uma instituição que se encontra motivada a garantir o sucesso pessoal e profissional desta nova geração.

Missão, Visão, Ação e Valores

MISSÃO

Assegurar a manutenção do nível de referência, alcançado pela excelência educativa e pelas suas intervenções no desenvolvimento da região. A promoção de conhecimentos, atendendo à dimensão da pessoa humana, assume o principal papel que norteia a nossa atividade. Centrados no aluno, fomentamos as suas capacidades para que, na captação do real, perspetivem o seu futuro, definindo as suas prioridades, ajudando-nos a enformar a nossa missão – estimular a pessoa, distinguindo-a pelo saber e pelo ser, criando-lhe hábitos de valorização do trabalho, da persistência e da criatividade, conscientes da importância do processo de aprendizagem ao longo da vida e reconhecendo o seu papel na construção de um futuro melhor.

VISÃO

A visão educativa de uma instituição desta natureza pauta-se por uma formação qualificante de jovens, proporcionando-lhes o know-how efetivo que lhes permita integrar, de forma exímia, o mundo do trabalho, garantindo o desenvolvimento da sociedade em que vivemos e, em particular, da região onde estamos inseridos. Perseverança, espírito crítico e criação marcam o quadro de competências- -chave que definimos para este projeto. Uma década depois, somos hoje reconhecidos pelo humanismo, gravando os paradigmas da qualidade, da responsabilidade e do rigor, fomentando uma cultura de abertura aos desafios do século XXI.

Não descurando o papel dos pais – primeiros agentes educadores – atendemos à garantia do direito à Educação, promovendo uma verdadeira igualdade de oportunidades.

AÇÃO

 O propósito da organização e a justificação da nossa existência passa por afirmarmo-nos como uma instituição que procura a inovação e qualidade na formação ministrada, pensando um projeto curricular inovador e sustentado, rumando à excelência. Numa ação centrada na formação integral do aluno, acreditamos num estreitamento de laços entre o fazer e o ser, certos de que só assim formaremos cidadãos justos e capazes de colocar o seu trabalho em prol do bem comum. Ensinando a fazer, garantimos a aquisição de uma cultura científica e técnica que desenvolva a inovação e a aptidão, preparando os jovens para uma progressiva inserção na sociedade, desenvolvendo-lhe, ao mesmo tempo, as competências que lhes permitam uma aposta na continuação dos seus estudos. Ensinando a ser, promovemos o desenvolvimento integral e harmonioso do aluno, numa vertente física, intelectual e moral. Alargando a nossa visão do mundo, incitamo-los a serem agentes da sua própria formação, corporizando os valores da autonomia e espírito crítico que lhes permitam crescer numa liberdade responsável.

VALORES

  • Igualdade de oportunidades e de género.
  • Inclusão como forma de aceitar e respeitar os diferentes intervenientes do processo educativo. – Integridade em todas as ações e atividades desenvolvidas, para formarmos profissionais bem qualificados.
  • Solidariedade para que possamos ajudar o próximo.
  • Respeito mútuo para melhor vivermos em sociedade
  • Responsabilidade para saber o que fazer, quando fazer e assumi-lo.
  • Profissionalismo para que os nossos alunos alcancem a excelência em tudo que fazem.
  • Sustentabilidade para que a instituição continue a promover políticas comprometidas com a geração futura.

Inclusão

No cumprimento da sua missão, a Escola Profissional da Guarda possibilita importantes práticas educativas, mormente através da prática letiva, mas, igualmente, através da realização de atividades não letivas, como o desenvolvimento de projetos que permitem aos alunos a aquisição dos valores da dignidade humana, do direito à diferença, da solidariedade, da liberdade e do exercício da tolerância. Estas experiências são fundamentadas nos princípios da educação inclusiva e da interculturalidade, objetivam o desenvolvimento da autonomia, do pensamento crítico, da responsabilidade no trabalho, do respeito pelos diferentes intervenientes do processo educativo, ideais que revestem este Projeto.

Cidadania

Visando a construção sólida da formação humanística dos alunos, para que assumam a sua cidadania, garantindo o respeito pelos valores democráticos básicos e pelos direitos humanos, tanto a nível individual como social, a educação constitui-se como uma ferramenta vital. Deste modo, na cidadania e desenvolvimento os professores têm como missão preparar os alunos para a vida, para serem cidadãos democráticos, participativos e humanistas, numa época de diversidade social e cultural crescente, no sentido de promover a tolerância e a não discriminação, bem como de suprimir os radicalismos violentos. A Estratégia de Educação para a Cidadania deve corresponder a um envolvimento de todos os intervenientes no sistema educativo, de modo a corresponder ao previsto no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Verifica-se, portanto, que o Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, corresponde a uma prática já consagrada no Projeto Educativo e que agora é formalizada como componente de currículo, nomeadamente na abordagem feita na disciplina de Área de Integração, competindo à escola cumprir com os objetivos previstos no que concerne à Estratégia de Educação para a Cidadania, atendendo:

  • aos domínios, temas e aprendizagens a desenvolver em cada ciclo e ano de escolaridade;
  •  ao modo de organização do trabalho;
  •  aos projetos a desenvolver pelos alunos que concretizam na comunidade as aprendizagens a desenvolver;
  • às parcerias a estabelecer com entidades da comunidade numa perspetiva de trabalho em rede com vista à concretização dos projetos;
  •  à avaliação das aprendizagens dos alunos;
  •  à avaliação da estratégia de educação para a cidadania da escola.

Paralelamente, a componente de currículo de Cidadania e Desenvolvimento:

  • constitui -se como uma área de trabalho transversal, de articulação disciplinar, com abordagem de natureza interdisciplinar;
  • mobiliza os contributos de diferentes componentes de currículo ou de formação, áreas disciplinares, disciplinas ou unidades de formação de curta duração, com vista ao cruzamento dos respetivos conteúdos com os temas da estratégia de educação para a cidadania da escola, através do desenvolvimento e concretização de projetos pelos alunos de cada turma.